quarta-feira, 30 de abril de 2008

Sweeney Todd: The Demon Barber of Fleet Street

Falar de Tim Burton envolve sempre expressões como "bizarro", "soturno", "universo peculiar". E, de fato, elas são ditas com propriedade quando analisamos a cinematografia deste artista comtemporâneo, sobretudo se dissermos em relação ao "Demonìaco Barbeiro...". Apartado da felicidade por uma condenação injusta, o personagem muito bem criado por Johnny Depp torna-se um ser revoltado, guardando eu seus meandros psicológicos uma dor que se revela em violência, sadismo, indiferença. A fotografia da película é sublime, e o uso do claro/escuro das cores remete à expressão lá de cima, esfera "soturna". Claro, não podemos esquecer que trata-se de um musical, em que as músicas também tem um fraseado todo especial, ou "peculiar", como queiram.