sábado, 17 de novembro de 2007

PUTZ!

Estréia. Textos deliciosos do João Gilberto Noll, 40 mini contos entrelaçados. Expectativa, pressão e... logo na minha primeira fala, caiu o sistema, cadê o texto, onde foi parar? Improvisar o que agora? Pendi a cabeça, sofri, retomei. Segunda fala: começou bem , dois textos colados e, no segundo... pô, de novo tilt?!, o texto, deletaram daqui? Abaixei a cabeça, me condoí comigo mesmo e continuei. Depois acertei tudo no resto da peça. Havia acontecido só uma vez, quando na montagem “Jesus Era Homem Por Isso Tinha Desejos”, de Treat Serpa, no Teatro Saltimbancos, festival de 2005. Mas na ocasião consegui improvisar bem, me safei. Participei de sete peças como ator estudante, fora quatro exercícios de meio de ano do Pé no Palco. Troquei palavras algumas vezes, esqueci outras, mas sistema cair assim... primeira vez. Espero, rara, não diria última, é mais normal do que o público pensa acontecer isso. Mas hoje tem mais, sempre é tempo de aprender e corrigir.