sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Sobre heranças

O governo Lula em seu primeiro mandato começou decepcionando petistas históricos, pelas nomeações indevidas, pelo imobilismo travestido de marquetagem tipo fome zero, pelas expulsões dos chamados radicais que na verdade eram os autênticos petistas. Logo depois, Lula falava em espetáculo do crescimento e herança maldita. O espetáculo de pouco crescimento foi devido ao que Malan e FHC plantaram: estabilidade da moeda, equilíbrio fiscal, cenário favorável que sofreu desestabilizações apenas pelo risco PT. Foi preciso uma continuidade da política vigente, exercida até de modo exagerado, para que se visse que Lula não era risco. A herança nesse quesito foi mais que bendita, Lula colheu e discursou como se fosse obra dele. Mas o apagão aéreo de hoje mostra o quanto de falta de política de infra-estrutura o FHC deixou de aplicar. É claro que isso não absolve o imobilismo do atual governo. Pires demorou demais a cair, o presidente ainda se deslumbra com seu cargo e pouco governa. Mas o que Mantega falou, de que há mais pessoas viajando pela melhora da economia, não é cabotinismo. Faltou realmente uma política de infra-estrutura no pais, já víamos inclusive apagão elétrico anos atrás. O Brasil pouco cresce, e quando cresce esse pouco, não sabe crescer.