quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Publiquei o post abaixo no blog antigo no dia 29 de junho de 2007, antes do movimento dos ricaços paulistas vir à baila.


Cansei. Há dias não leio a parte de política da Folha de S.Paulo nem da Gazeta do Povo, os dois jornais que assino. Minha coluna preferida de política deixou de ser a do Clóvis Rossi, agora é a do Zé Simão, aliás nosso melhor cronista político e social. O Jabor parei também de ouvir na CBN. É tanta coisa acontecendo, tantos escândalos, tanta sacanagem, que me esgotou o saco de acompanhar a política brasileira e até a mundial. Prefiro reler os diálogos de Platão, O Príncipe do Maquiavel, vários filósofos, romances, poesia, do que perder em torno de uma hora diária lendo sobre uma política que não tem arte, só mutreta (ou essa mutreta seria a verdadeira arte da política?). Nesta semana, me dediquei só a decorar o texto do curta metragem “Patrulha”, dos alunos de cinema digital do Centro Europeu, no qual farei uma participação. Semana que vem serão as gravações, e dia 08 tenho também uma apresentação teatral no Pé no Palco, na qual encenaremos esquetes que criamos no improviso. Prefiro a minha verdadeira arte. E os senadores corruptos que se fodam.