domingo, 1 de agosto de 2010

Sopra agora neste meu agosto
um vento de águas de março
que fecham o verão do meu passado
em desgosto.
Jogo no teu peito pipocas de
panela que você come vendo
a sessão da tarde em versão brasileira
herbert hitchers.
O caldo da cultura pop se mistura
a um perdão satírico que te peço
por não te engrandecer como deveria.
A alma penada do meu eu
continua seu périplo banhada
em anestesia.
O baque o susto o salto o palco a pena
apenas singrando a tela em teclas.
A busca o fato o ato o vero
numa percepção
cáustica da mórbida figura.
A vida o ser a angústia a mácula da realidade
que se me transfigura.


by cláudio bettega, em 01.08.2010

2 comentários:

Devaneios e outros venenos disse...

;) muito bom! vi essas cenas... bjos

Cláudio Bettega disse...

valeu ju, beijos!