quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

textículo



Colecionava figurinhas carimbadas de pensamentos difusos em companhia de sonhos obtusos. Queria que qualquer flor dizimasse qualquer pavor, queria a manhã cheia e a lua clara, queria a tarde alta e o sol quente. Os olhos perpassavam por todo e qualquer vulto, sua vida era perdida de minuto em minuto, sua enxaqueca doía mais no coração do que o ribombar de sangue em sua cabeça. Com pressa, então, palmilhou um caminho sem destino, ia por fora e por dentro correndo feito um menino. Se a força dos passos rápidos derramam o mel da consciência, a vida (se) nos apresentará como fôramos eminências.


by bettega, num dia desses aí...